Arquivo da categoria: Notícias

COMO FAZER UM POMAR

Um pomar, independente do tamanho, sempre traz grandes vantagens. Abrigar pássaros, proporcionar uma deliciosa sombra nos dias quentes e comer uma fruta colhida na hora.

As frutas mais recomendadas são aquelas preferidas pela família e que podem ser utilizadas, tanto para consumo ao natural, como na forma de geléias, compotas e sucos.

Mas não devem ser escolhidas apenas pela vontade é necessário usar plantas adequadas a luz , temperatura, altitude e a umidade do local.

Como Fazer um Pomar

Antes de iníciar o plantio, é preciso verificar as condições do local, para que o pomar tenha um planejamento correto e as espécies escolhidas sejam adequadas ao ambiente.

Considerar a experiência de fruticultores e vizinhos que já plantaram ou possuem pomares.

Como Fazer um Pomar

A iluminação é um fator fundamental para o crescimento e a reprodução das plantas frutíferas, que precisam receber pelo menos 7 horas diárias de sol direto no verão.

Além da determinação dos pontos cardeais (Norte, Sul, Leste, Oeste), é preciso verificar a existência de construções, muros e árvores do terreno, fatores que alteram as condições de luz, temperatura, umidade e ventilação do local.

A face leste é a mais privilegiada, pois, quando o sol nasce, a temperatura é amena. Essa situação permite que a umidade do solo se mantenha por mais tempo.

A face oeste do sol poente, é mais quente, uma vez que a temperatura se acumula nos minerais do solo, fazendo a água evaporar mais depressa. Assim, somente as árvores que possuem raízes e folhas mais resistentes podem se adaptar a essas condições.

Para saber a posição do sol, abra seus braços de modo que o seu braço direito aponte para o local onde o sol nasce, no leste, e o seu braço esquerdo para aonde o sol se põe, a oeste. À sua frente estará o norte e às suas costas, o sul.

Como Fazer um Pomar

Preparação e plantio

  • O terreno deve ser de preferência plano ou levemente inclinado.
  • O solo deve ser profundo, bem drenado.
  • Ter água potável nas proximidades.
  • A área do pomar deve ser cercada para evitar a entrada de animais.
  • Limpar o terreno, remover pedras, entulhos e raízes de plantas.
  • Verificar se não existe formigueiros na área escolhida ou mesmo nos arredores.
  • Aconselhável proteger o pomar dos ventos com uma proteção vegetal, os ventos deformam galhos, derrubam as flores e frutos e prejudicam a polinização.
  • As mudas devem ser vigorosas, bem formadas, com raízes suficientes, aspecto sadio e devem ser adquirida em produtores de confiança.
  • Para conhecer o solo, o ideal é que seja retirada amostras do solo e analizadas em laboratórios especializados.

Como Fazer um PomarNão sendo possível fazer a análise do solo, use a seguinte mistura:

Preparo das covas

De 30 a 60 dias antes, abra covas de 80x80x80 ou se o solo for fértil podem ser de 60x60x60 centímetros.

Ao tirar a terra da cova, separe de um lado a terra da superfície e de outro a do fundo.

Misturar a terra da superfície

  • 20 litros de esterco de boi bem curtido ou 5 litros de esterco de galinha
  • 500 gramas de calcário dolomítico
  • 1 kg de fosfato natural
  • 150 gramas de cloreto de potássio.

Se o solo tiver boa permeabilidade, ou seja se a água demora a infiltrar-se nele, acrescente 2 partes de areia grossa de construção a mistura.

Evitar fazer o plantio nas horas quentes do dia.

Após o plantio, há necessidade de tutoramento de algumas espécies, para que se fixem mais rapidamente. O nó de amarração deve ser em 8, nunca em 0.

Após o plantio deixar cerca de 1 metro em torno da planta, com 1 cm de profundidade, formando uma bacia para reter água.

Se possível cobrir em volta da planta com folhas secas, palha de arroz, de milho ou serragem grossa, isso ajuda a manter a umidade do solo e evita que o mato cresca.

Como Fazer um PomarAdubação de cobertura

  • Aos 30, 60 e 90 dias após o plantio, aplicar sob a copa da planta, com leve incorporação:
  • 50 g de ureia ou sulfato de amônio
  • 30 g de cloreto de potássio

Preferencialmente, as adubações devem ser feitas em período chuvoso.

As árvores frutíferas necessitam de podas de formação, retirando alguns ramos para conduzir a copa, que em geral deve ser bem arejada e aberta, de forma a receber boa insolação nos frutos e boa ventilação, para evitar doenças.

Elimine todos os brotos que surgirem abaixo dos ramos ou pernadas da muda, dentro dos dois primeiros anos.

Podas sanitárias são feitas periodicamente, eliminando-se flores, folhas e galhos doentes. Limpar o tronco e galhos grossos, caso haja ataque de líquens e musgos, retirar com uma escova e pincelar calda bordalesa a 3%. Esse procedimento deve ser feito anualmente.

Se as folhas e frutos caírem no solo, devem ser retirados do local, pois as pragas e doenças sobrevivem nesses restos e voltam a atacar as plantas vivas. O jardim deve ser mantidos limpo. Aqueles restos podem ser utilizados depois que se transformarem em húmus.

Plantas trepadeiras como uva, maracujá, laranja trepadeira devem ser mantidas limpas até a altura da estrutura de sustentação.

Adubação Anual

Fazer adubação anual (primavera ou no outono), com uma mistura benéfica a todas as frutíferas:

  • 1 lata de terra boa
  • 1 lata de esterco bovino bem curtido
  • 100 gramas de adubo NPK 10-10-10
  • 500 gramas de farinha de osso.

Faça de 6 a 10 buracos, em volta do tronco da árvore a mais ou menos 2/3 de distância entre o tronco e a projeção da copa.

Após a adubação irrigar abundantemente.

Como Fazer um Pomar

Ensacar os frutos quando ainda pequenos, para evitar o ataque de insetos como precevejos e da mosca das frutas.

Como Fazer um Pomar

Para combater pragas e doenças o ideal e usar receitas caseiras.

Frutiferas para o Pomar

  • Árvores de pequeno porte 3 a 5m altura.
  • Árvores de médio porte 6 a 9 m altura.
  • Árvores de grande porte 10 a 12m altura.

Por exemplo, quando se diz que o espaçamento deve ser de 3 x 4, isto quer dizer que aquela planta precisa, no mínimo, de 12 m quadrados de área de solo, para desenvolvimento das suas raízes e da copa.Quanto maior a área individual de cada planta, maior será a produção de frutos.

Rasteiras e Trepadeiras

Como Fazer um PomarComo Fazer um Pomar

Pequeno porte

Como Fazer um PomarComo Fazer um Pomar

Médio porte

Como Fazer um PomarComo Fazer um Pomar

Grande porte

Como Fazer um PomarComo Fazer um Pomar

FONTE: Flores e Folhagens

ENTENDA UM POUCO SOBRE ADUBO

As plantas necessitam de diversos nutrientes para crescerem sadias e retiram do solo macronutrientes e micronutrientes que são compostos de átomos de elementos químicos, que passam a constituir os seus tecidos. Os micronutrientes são consumidos em pequenas quantidades, enquanto que os macronutrientes são consumidos em larga escala.

Macronutrientes – Assim denominados por serem consumidos em grande quantidade pelas plantas e são representados pela sigla NPK nas formulações básicas de adubos, representando Nitrogênio – Fósforo – Potássio. São ainda macronutrientes os seguintes elementos: enxofre, cálcio e magnêsio.

Micronutrientes – São também elementos essênciais para a nutrição equilibrada das plantas porém, consumidos em menor quantidade e constituem-se em : Boro, Ferro, Zinco, Manganêz, Cobre, Molibidênio e Cloro.

Entenda o NPK

Quando a embalagem de fertilizante trouxer a indicação numérica dos elementos de sua fórmula, isso significará que os macronutrientes estarão presentes nas quantidades percentuais indicadas pelos numeros enunciados, correspondendo a sigla NPK, por exemplo na formula 4-14-8 teremos 4% de Nitrogênio + 14% de Fósforo + 8% de Potássio, resultando em 26 % de elementos nobres (macronutriente) na sua composição.

Cada um dos elementos fertilizantes é dotado de funções específicas na nutrição das plantas, ativando determinadas partes de seu metabolismo vegetal.

Nitrogênio(N) – Indispensável para a estrutura dos tecidos foliares. Favorece as folhas e estimula o desenvolvimento das brotações.

Fósforo(P) – Elemento essêncial para a reprodução das plantas. Proporciona o aumento da floração e frutificação. Fortalece ainda os tecidos das plantas e estimula o crescimento das raízes.

Potássio(K) – Metabolizante que favorece a elaboração dos açúcares e amidos, para o consumo e reservas dos vegetais. Aumenta a resistência a sêca. Fortalece raízes e intensifica a coloração e sabor dos frutos complementando a ação do Fósforo.

Características dos Macronutrientes

Os adubos podem ser de natureza orgânica, quando originados por fonte animal ou vegetal e inorgânica, quando de origem mineral, sendo sua potência variável, de acordo com o elemento de origem.

Adubo e Suas FuncoesAdubos Orgânicos

São obtidos de matérias-primas de origem animal ou vegetal

Nitrogenados – Farinha de sangue – Estrume de Cavalo ou Gado – Torta de mamona
Fosforados – Farinha de Ossos – Estrume de Galinha.
Potássicos – Estrume de Coelho – Composto Orgânico.

Farinha de Ossos – Resultante da moagem ou autoclavagem de ossos de boi, a farinha de ossos é rica em cálcio, fósforo e matéria orgânica de ação liberatoria lenta no solo. Nunca deverá ser utilizado em conjunto com Cálcareo, pois anula grande parte de sua ação fertilizante. Favorece a produção de flores e frutos.

Farinha de Sangue – Elemento muito rico em Nitrogênio(N) de fácil assimilação pelas plantas quando aplicado a uma profundidade de 15 cm no solo, favorece os tecidos foliares e estimula as brotações das plantas.

Composto Orgânico – Obtido pela compostagem dos elementos organo-vegetais.
Trata-se de fertilizante bem equilibrado em todos elementos nobres, proporcionando considerável aumento da fertilidade do solo e beneficiando as plantas em praticamente todas suas necessidades.

Torta de mamona – É o bagaço que sobra após a retirada industrial do óleo de mamona. Além de ser muito rica em Nitrogênio (cerca de 5%) ainda possui ação nematicida (os nematóides são vermes que atacam as raízes das plantas).
Embora excelente para as plantas, ela é extremante venenosa para os animais de estimação. Além da ricina (veneno presente na mamona), há concentrações elevadas de metais pesados como o cádmio e o chumbo.

Húmus de minhoca – O húmus é resultado do processamento dos nutrientes presentes no esterco bovino que, depois de passar pelo organismo das minhocas, fica totalmente solubilizado, tornando mais fácil sua assimilação pelas plantas. Rico em matéria orgânica, além de fertilizar, o húmus recupera as características físicas, químicas e biológicas do solo natural, favorecendo assim o bom desenvolvimento das plantas.

Esterco – Os mais utilizados são os de gado e de frango. O esterco de gado contém maior quantidade de fibras, o que evita a compactação do solo e ajuda a reter maior quantidade de água. O de frango, por sua vez, é mais concentrado, extremamente rico em nutrientes. Porém, a grande quantidade de alguns elementos aumenta o risco de tornar o solo mais ácido e salino.
O esterco só poderá ser utilizado no solo após estar perfeitamente curtido, pois do contrário, passará pelo processo de decomposição através de fermentação, o que poderá acarretar a queima das raízes das plantas. Além de curtidos deverão ser peneirados, para evitar blocos aglomerados que servem para desenvolver vários tipos de fungos prejudiciais as plantas.

Adubo e Suas FuncoesAdubos Inorgânicos

São obtidos de matérias-primas de origem mineral

Nitrogenados – Salitre do Chile – Sulfato de Amônio – Salitre Potássico.
Fosforados – Superfosfato de Cálcio – Superfosfato Duplo.
Potássicos – Cloreto de Potássio – Sulfato de Potássio.

Salitre do Chile – Fertilizante facilmente solúvel em água, apresenta-se na forma de minusculas contas brancas. Contém 16% de teor de Nitrogênio(N) e causa reação alcalinizante no solo, servindo portanto para auxiliar na correção da acidez. Deve ser aplicado no solo sob ação de irrigação ou chuva fina, para evitar que possa causar queimaduras nas folhagens das plantas.

Sulfato de Amônio – Seu teor de Nitrogênio(N), situa-se em torno de 20%. Diferente do produto anterior, sua ação no solo e acidificante. Trata-se de elemento que precisa passar no solo pela ação de bactérias húmicas, transformando-se em nitrato, para depois ser apropriado pelas plantas.

Salitre Potássico – Elemento em dupla ação fertilizante pois, além de conter 15% de Potássio(K), contem ainda 15% de Nitrogênio(N), fortalecendo os tecidos foliares e a brotação das plantas, aumentando sua resistência a sêca.

Superfosfato – Trata-se de fertilizante fosforado e contem 18% de Fósforo(P). Não deve ser aplicado em solo que tenham recebido correção por cálcareo a menos de 6 meses.
E elemento essêncial para as espécies floriferas e/ou produtoras de frutos.

Cloreto de Potássio – Elemento compôsto por cerca de 50% de Potássio(K) e trata-se de sal altamente hidroscópico – atrai as particulas de água em suspensão no ar – por isso deverá ser mantido em recipiente hermeticamente fechado para evitar liquefação.

Sulfato de Potássio – Elemento dos mais equilibrados em Potássio(K) e que devido a sua ação alcalinizante, serve para a correção da acidez.

FONTE: Flores e Folhagens

PLANTAS SUCULENTAS – Como cuidar

São plantas lindas com diversas formas, cores e texturas. Tem grande capacidade de armazenar água na raiz, no caule ou folhas e tem grande resistência a seca.

 

Como Cuidar de suculentas:

Regue suas plantas 1 ou 2 vezes durante o mês, até que escorra água pelo fundo do vasinho. Evite jatos de agua muito fortes, pois podem danificar as folhas. É importante manter as suculentas em lugar arejado, pois quando não existe ventilação, o ambiente fica propício para o aparecimento de doenças e pragas.

De modo geral, as suculentas gostam do sol da manhã, mas há algumas que preferem sol pleno e outras nem podem receber luz solar direta.

A adubação deve ser feita de 3 em 3 meses, suspendendo no inverno, pode ser adubo natural, como torta de momona e farinha de osso ou adubo químico NPK. Seguir orientações do fabricante.

A maioria das suculentas se multiplicam por estaquias das próprias folhas. Em espécies como as Crassulas e Echeverias, as folhas se destacam facilmente do caule, esse já é um modo prático e fácil de propagação da planta que terá excelentes resultados.

Existem várias misturas de substrato para suculentas, alguns adicionam Turfa, Casca de Pinus, Fibra de coco, Vermiculita, Perlita, mas o principal é que seja bem drenado.

Esse substrato a seguir já permite uma boa drenagem, para que a planta consiga reter o suficiente de água para sua sobrevivência, sem que isso faça apodrecer as suas raízes.

  • 1 medida de terra vegetal
  • 2 medidas de areia de granulometria grossa
  • 1/2 medida de humus de minhoca

O vaso deve ter o tamanho que dê bastante espaço para o desenvolvimento e acomodação das raízes.

Alguns exemplos de suculentas

Plantas SuculentasRabo-de-burro – Sedum morganianum

Plantas SuculentasRosa-de-pedra – Echeveria      Saiba mais

Plantas SuculentasVioleta Africana – Saintpaulia ionantha            Senécio Azul – Senecio serpens

Plantas SuculentasOnze horas – Portulaca grandifolia                         Aloe polyphylla

Plantas SuculentasColar de pérolas(Senecio rowleyanus)       Lança-de-são-jorge(Sansevieria cylindrica)

Decoração com Suculentas

Plantas Suculentas

Plantas Suculentas

Plantas Suculentas

Mini jardim de suculentas

Plantas Suculentas

FONTE: flores e folhagens

PRÊMIO ART ET DECÓR 2015

PRÊMIO ART ET DECÓR 2015

Premio Art Decor2

A nona edição de um dos prêmios mais reconhecidos no ramo de design ocorreu nessa ano de 2015, e foi a primeira vez que o segmento de paisagismo se fez presente, e é claro, a Sempre Verde Garden não pode deixar de participar.

Premio Art Decor3Agradecemos a todos nossos clientes e parceiros que votaram e nos ajudaram a vencer esse premio tão importante.